Guia de Sacriel para sobreviver ao apocalipse zombie (e se conectar com as marcas ao fazê-lo)

23 de novembro de 2021 | De: Matt Miller, redator sênior

O que é preciso para ficar famoso na Twitch? Bem-vindo ao Going Live, uma série em que criadores populares da Twitch explicam como encontraram suas comunidades e cultivaram um espaço onde espectadores, streamers e marcas podem se conectar em tempo real.

É uma tarde de semana em meados de setembro e Chris “Sacriel” Ball tem um problema. “Acho que tenho um zumbi bem aqui na minha base e estou com medo”, diz ele aos milhares de fãs que participam da sua transmissão online na Twitch enquanto ele joga Project Zomboid, um jogo de sobrevivência a ataques de zumbis de mundo aberto hiperrealista em que o jogador tenta sobreviver às ameaças de mortos-vivos pelo maior tempo possível. Sacriel, que por mais de uma década desenvolveu uma comunidade apaixonada de fãs entusiasmados com seus streams de jogos de estratégia de combate educacionais, sobreviveu durante meses no jogo. “Podemos acabar morrendo aqui”, diz ele aos fãs. No bate-papo, alguns deles tentam pedir que Sacriel pule uma cerca ou se esconda atrás de um carro. Ele está exausto, mas ataca mais de 20 zumbis e escapa por pouco. Os fãs no bate-papo estão empolgados e enchem o stream com cheermotes personalizados quando ele sobrevive mais um dia. “Você é um ótimo streamer!”, um fã comenta no bate-papo enquanto o personagem de Sacriel lê livros para se animar após a ação. “Obrigado, amigo”, responde Sacriel ao comentário.

São esses tipos de momentos que ajudaram a Sacriel a conquistar mais de 700 mil seguidores na Twitch. Além disso, o Project Zomboid é um exemplo perfeito do fascínio dos streams de Sacriel na Twitch. “Eles adoram”, diz ele sobre sua comunidade (que ele carinhosamente apelidou de 42º fazendo referência ao Guia do mochileiros das galáxias) uma semana depois, já instalado em sua casa no Canadá, para onde se mudou recentemente com sua esposa, vindo de sua terra natal, a Inglaterra. “Para eles, é como assistir a um episódio de The Walking Dead. A única diferença é que eu sou o personagem principal e sou eu quem está sendo perseguido. É muito tenso para eles. Quando eu escapo e encontro um carro que funciona, eles vibram comigo.”

“Essa é a alegria do [serviço]”, afirma Sacriel. “É isso que o torna melhor do que o conteúdo gravado.”

A descoberta das poderosas conexões da Twitch

Já faz mais de uma década que Sacriel começou a jogar videogame profissionalmente com conteúdo pré-gravado. No início de 2010, Sacriel, então conhecido apenas como Chris Ball, trabalhava como gerente de produtos em um provedor de serviços de internet na Inglaterra. Ele começou na empresa no departamento de suporte ao cliente atendendo chamadas e explicando o que estava errado com a banda larga dos clientes. Ele tinha um talento especial para explicar tecnologia muito complexa para pessoas comuns. Sacriel jogou videogames durante toda a sua vida. Ainda criança, ele jogava em um computador Commodore antigo com seu pai. Então, por hobby, ele começou a mostrar vídeos de si mesmo jogando online. “Isso foi logo no início, antes que a criação de conteúdo mainstream fizesse parte das nossas vidas”, lembra Sacriel. “As pessoas começaram a fazer comentários como, ‘como você usou esse item?’ E eu acessava a seção de comentários e digitava rapidamente para eles usando as habilidades que eu tinha do meu trabalho.”

quoteUpSurpreendentemente, a questão não é ser bom em jogos. Muitas vezes, ser bom em jogos é literalmente irrelevante. Tem a ver com ser autêntico, consistente, interativo e ser você mesmo.quoteDown
- Chris “Sacriel” Ball, streamer da Twitch

Por volta dessa época, em 2011, a empresa de Sacriel foi comprada e ele teve que fazer uma escolha: aceitar uma promoção ou receber uma indenização e sair. Ele optou pela indenização, saiu do emprego e começou a postar vídeos de videogames em tempo integral. No início de 2012, uma fã comentou em um dos seus vídeos sugerindo que ele fosse à Twitch e interagisse com seus espectadores online. Sacriel resolveu tentar. Estava nervoso no início por estar online, situação em que ele poderia cometer erros. Mas logo notou que os fãs faziam perguntas online, e ele podia respondê-los em tempo real. “Foi realmente empolgante”, recorda Sacriel sobre esses primeiros streams. Um dia, seus fãs estavam fazendo perguntas sobre armas e táticas e uma delas sugeriu que ele experimentasse a Twitch. “Oito anos depois, me casei com essa fã”, conta Sacriel.

Como criar uma marca, uma empresa e uma comunidade na Twitch

Atualmente, a esposa de Sacriel, Shannon Plante (que também transmite na Twitch com o nome ShannonzKiller), ainda faz parte da empresa de streaming do marido, juntamente com moderadores, programadores, artistas, gerentes e muito mais. À medida que a comunidade de Sacriel cresceu, sua operação de streaming também cresceu. Sacriel começou de forma modesta na Twitch, mas logo estabeleceu suas transmissões inovando com uma sobreposição desenvolvida por ele próprio que analisava o bate-papo da Twitch e o notificava quando os espectadores se inscreviam. Ele atribui parte do seu sucesso inicial a essas inovações que ajudaram seu canal a se destacar. No momento, ele está trabalhando em mais inovações, como filtros que permitem que seus espectadores alterem o rosto e a voz.

Isso tudo faz parte da forma como Sacriel continuou a desenvolver sua audiência e sua marca na Twitch. Para ele, a base da marca sempre foi uma abordagem educativa, algo que ele trouxe da sua experiência anterior como gerente de projetos de um provedor de serviços de internet. “Um dos pontos que acho mais atrativos na minha proposta é minha capacidade de ensinar”, afirma Sacriel. “Eu não jogo apenas, me saio bem no jogo e, no final, mostro o resultado. Sempre que faço algo bem em um jogo, analiso a situação e literalmente uso o Microsoft Paint para desenhar a estratégia. As pessoas percebem que ‘uau, ele não é apenas bom no jogo, também está me ajudando a melhorar’”.

Às vezes, Sacriel é conhecido por se aprofundar em tópicos que não relacionados a videogames, como emaranhamento quântico ou captura de nêutrons. Ele até acha que seu charmoso sotaque britânico é uma espécie de atrativo para os espectadores americanos (na verdade, ele imita David Bowie muito bem, inspirado na série de comédia Flight of the Conchords). De acordo com Sacriel, umas das principais formas de conquistar o sucesso na Twitch são: ter uma programação de streaming consistente, um stream interativo e ser você mesmo. “Surpreendentemente, a questão não é ser bom em jogos. Muitas vezes, ser bom em jogos é literalmente irrelevante”, afirma Sacriel. “Tem a ver com ser autêntico, consistente, interativo e ser você mesmo.”

Onde criadores, espectadores e marcas da Twitch se cruzam de maneiras significativas

Ao se estabelecer como uma grande voz na Twitch, Sacriel transformou seu sucesso em parcerias significativas com marcas. Uma de suas parcerias preferidas foi com a Paramount para promover um novo filme da franquia Missão: Impossível. Como parte da campanha, o estúdio levou Sacriel a um túnel de vento de paraquedismo coberto para jogar videogame em queda livre. “Minha comunidade ficou totalmente fascinada com isso”, lembra Sacriel. “Então, eles combinaram trailers e clipes do filme com cenas minhas fazendo paraquedismo. Foi uma forma natural e engajadora de trabalhar em conjunto.”

Outra colaboração que Sacriel lembra foi o trabalho com a Intel, que foi uma forma de realizar um sonho de infância, já que ele cresceu usando as CPUs da marca desde seu primeiro computador, diz ele. “20 anos depois, quando a empresa disse que queria que eu os representasse… a sensação foi de que isso não poderia ser real”, disse Sacriel. “Sou apenas um cara que joga videogame. Na verdade, é um pouco estranho pensar sobre isso. Se eu pudesse voltar 10 anos e dissesse a mim mesmo ‘Daqui a 10 anos você será patrocinado por algumas das maiores empresas do mundo e terá sua própria casa e uma esposa’, eu diria ‘não pode ser, você está falando de outra pessoa.’”

Para criar essas parcerias de marca significativas, Sacriel pensa e se esforça para escolher com quem trabalhar e por quê. Ele diz que às vezes uma marca se aproxima dele e outras vezes ele se aproxima da marca. Ele precisa estar entusiasmado com a marca tanto quanto a marca está entusiasmada com ele. É a autenticidade que alimenta esses relacionamentos de sucesso.

“As pessoas conseguem detectar imediatamente se você está apenas lendo um script”, diz Sacriel. “É por isso que rejeito mais da metade das ofertas que recebo. Sou muito específico em relação com quem trabalho e isso fortalece minha marca na comunidade já que eles sabem que sou autêntico.” Sacriel diz que procura marcas que já usa, nas quais acredita e nas quais confia. “Iniciei esta jornada com o objetivo de criar um espaço seguro para as pessoas que eu gosto e nunca vou trabalhar com um produto ou serviço que pese na minha consciência.”

Para marcas que desejam trabalhar com criadores de conteúdo na Twitch, a Sacriel sugere que elas façam suas pesquisas sobre streamers primeiro. Naveguem pelos vídeos deles, conheçam a comunidade deles e avaliem se é a opção certa. “Acho que o valor para as marcas, se trabalharem com as pessoas certas, é conseguir uma representação autêntica da marca”, conclui Sacriel. Seu público confia nele, e quando ele fala sobre um produto durante suas transmissões, as pessoas ouvem porque ele acredita no produto. Ele pode responder a perguntas, mostrar o produto em ação e permitir que seu público interaja com ele. Esta, diz ele, é uma parceria onde todos ganham: as marcas, sua audiência e ele.

No futuro, Sacriel quer um dia transformar toda a sua experiência em seu próprio videogame de sobrevivência. Ele já está em negociações com alguns desenvolvedores. Mas, enquanto isso não se concretiza, ele precisa continuar vivo no apocalipse zombie. É um trabalho perigoso, mas ele e sua comunidade 42º adoram.

Quer saber mais sobre a Twitch? Confira mais conteúdo educacional para saber como criar uma comunidade da Twitch e ajudar a desenvolver sua marca com os Anúncios da Twitch.